top of page
  • blogviajantee

Plovdiv, a cidade mais antiga da Europa.

Um roteiro de meio dia em uma das principais cidade búlgaras, lar de uma arquitetura encantadora e muita cultura.

Plovdiv é a segunda cidade mais populosa da Búlgária, com aproximados 350 mil habitantes. A cidade é uma das mais visitadas do país e isso muito se deve aos fortes investimentos recentes na área do turismo e na preservação de seus monumentos. Não a toa, a cidade foi eleita no ano de 2019, ao lado de Matera na Itália, a capital cultural da Europa e em 2022, ficou em quarto lugar no prêmio “European Best Destinations”.

Plovdiv também é uma cidade riquíssima em história e é considerada a cidade continuamente habitada mais antiga da Europa. Existem evidências de assentamentos humanos no local desde o sexto milênio a.C. Ao longo da história, várias civilizações habitaram as terras onde se encontra Plovdiv, com destaque para os Trácios, Persas, Macedônios, Romanos, Otomanos e Búlgaros. O nome antigo da cidade era Philippopolis (Cidade de Philip) em homenagem a Philip II (o pai de Alexandre o Grande), que liderava os Macedônios, quando estes dominaram a cidade. Durante o Renascimento Búlgaro, houve forte desenvolvimento ecônomico na região e ainda hoje é possível encontrar as belas casas construídas durante esse período na cidade.


Procure pelas melhores opções de hospedagem na cidade de Plovdiv clicando aqui!


Para iniciar nosso passeio na cidade de Plovdiv, tiramos o carro alugado da garagem do apartamento em que estávamos hospedados em Sófia, e logo cedo já dirigiamos pelas autoestradas búlgaras. Ao nascer do sol, já nos aproximávamos da cidade de Plovdiv.


Chegando a Plovdiv pelas autoestradas búlgaras


Estacionamos o carro em um dos estacionamento existentes próximos ao rio Maritsa, que corta Plovdiv, e então nos pusemos a caminhar em direção ao primeiro ponto turístico do roteiro, a Estátua de Milo. Esse monumento homenageia um dos personagens da cidade, que segundo algumas histórias, era surdo e estava sempre a zanzar pela rua principal, sendo assim conhecido por todos os moradores de Plovdiv. Atualmente a estátua de Milo é um ícone local, e todos os dias vários turistas cochicham seus desejos e sonhos na orelha de Milo, com a esperança de que estes venham a se realizar.

Estátua de Milo


Como mencionado anteriormente, Plovdiv foi eleita Capital Européia da Cultura no ano de 2019, e a campanha tinha como lema: "Together". Um letreiro em homenagem a esse fato se encontra logo ao lado da Estátua de Milo.

Letreiro "Together"


O próximo ponto turístico que conhecemos na cidade foi um legado dos tempos do Império Romano, o Estádio Antigo de Philippopolis. Construído no ínicio do século II, sob o domínio do imperador Adriano, o estádio possuía 240 metros de comprimento por 50 metros de largura e abrigava 30 mil pessoas. Boa parte do estádio ainda hoje permanece debaixo das atuais construções de Plovdiv. O estádio foi descoberto durante excavações no ano de 1923.

Estádio Antigo de Philippopolis

Estádio Antigo de Philippopolis

Próximo ao estádio, outro ponto turístico, porém desta vez legado dos Otomanos, a Mesquita Dzhumaya. Esta mesquita foi inicialmente construída entre 1363 e 1364, porém o prédio atual é uma reconstrução do século XV, após o antigo ter sido demolido.

Mesquita Dzhumaya


Da mesquita, começamos a subir uma pequena colina e logo no ínicio desta, econtramos a Catedral da Santa Assunção (Uspenie Bogorodichno) ou Catedral da Santa Mãe de Deus. Essa igreja foi construída entre os anos 1844 e 1845, sobre o local onde existia uma igreja cristã do século IX, que foi destruída durante a consquista da cidade de Plovdiv pelos Otomanos no ano 1371.

Catedral da Santa Assunção


Já em uma parte mais alta da cidade, chegamos ao que talvez seja o principal ponto turístico de Plovdiv, o Teatro Romano de Philippopolis. Esse teatro é considerado um dos mais preservados teatros romanos do mundo. Foi construído no século I, sob domínio do imperador Domiciano e descoberto durante excavações no ano 1968. O teatro foi restaurado e é utilizado atualmente para realização de peças e concertos. Além disso, do local é possível ter uma bela vista da cidade. Para visitar o teatro é necessário adquirir o ingresso no valor de 5 Levs por pessoa.

Teatro Romano de Philippopolis


Um dos mais importantes períodos da história da Bulgária ocorreu entre os anos 1768 e 1878, o chamado Renascimento Búlgaro. Essa época é marcada pelo forte desolvimento cultural, literário e principalmente da arquitetura do país, sendo que construções dessa época podem ser encontradas em diversas cidades búlgaras. Em Plovdiv, vários ricos comerciantes contruíram suas casas durante essa época, em uma parte alta do centro, e se utilizando da arquitetura características do período.

E para começar a desbravar essa parte do centro de Plovdiv, chegamos à Casa Lamartine, construída entre 1829 e 1830. Essa mansão também é conhecida por Casa Mavridi, devido ao fato de o famoso poeta francês Alphonse de Lamartine ter se hospedado por três dias na casa. A construção apresenta como principal característica, andares superiores com área maior do que a área do andar térreo. Segundo algumas histórias que ouvimos, antigamente o imposto das residências era cobrado proporcional ao terreno em que se localizava a casa, sendo que para pagar menos imposto, as pessoas construíam a casa em pequenos terrenos e optavam por aumentar os andares superiores.

Casa Lamartine


A próxima casa do peíodo do Renascimento Bulgaro a conhecermos foi a Casa Balabanov. Esta construção leva o nome de um de seus donos, Luka Balabanov e foi construída no ínicio do século XIX.

Casa Balabanov


Por fim, o Museu Etnográfico Regional de Plovdiv, que foi construído na antiga casa de um rico mercante chamado Argir Kuyumdzhioglu, no ano 1847.

Museu Etnográfico Regional de Plovdiv


Confesso que até visitar Plovdiv nada conhecia sobre o Renascimento Búlgaro, mas após passear pelas ruas da cidade com diversas casas desse período, ainda hoje muito bem preservadas, me encantei pelo local e considero esse o ponto alto da visita à cidade.

Rua em Plovdiv com casas da época do Renascimento Búlgaro


Após conhecer as antigas construções do Renascimento Búlgaro, cruzamos o Hisar Kapia, um portão medieval do século XI e chegamos à Igreja de São Constantino e Elena, que homanageia o grande imperador romano Constantino e sua mãe Elena. A construção inicial da igreja ocorreu no ano 337, mas foi reconstruída várias vezes ao longo da história, sendo o prédio atual do ano 1832.

Hisar Kapia


Igreja de São Constantino e Elena


Ao fundo Torre do Sino da Igreja de São Constantino e Elena


Assim como Roma, a capital da Itália, Plovdiv também foi fundada próxima a 7 colinas e a mais famosa delas é Nebet Tepe. Foi sobre está colina que os primeiros assentamentos se estabeleceram por volta do ano 4000 a.C. Uma fortaleza, que atualmente se encontra em ruínas, está localizada no topo da colina, tendo sido construída pelos Trácios e amplida por Macedônios e Romanos. Da antiga fortaleza se tem uma pela vista da cidade.

Ruínas da Fortaleza em Nebet Tepe


Já era quase meio dia e nossos estômagos começavam a roncar, decidimos então caminhar até o Bairro Kapana. Esse bairro começou a ser revitalizado em 2014, em um esforço da prefeitura para desenvolver o turismo e dar uma cara nova ao local. Localizado próximo ao centro da cidade, é um bairro muito creativo, com grafites espalhados pelas ruas e uma grande quantidade de bons e descolados restaurantes.

Grafites no Bairro Kapana


Hora de deixar Plovdiv e conhecer mais um belo local na Bulgária, mas novamente deixamos esse tema para um outro post (rsrs).

28 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page